Por que bailarinos deveriam se preocupar com sua língua?

Tempo de leitura estimado | 5 min

 

Não, a pergunta deste texto não está preocupada com o que os bailarinos falam ou não falam de si ou do outro. Não estamos interessados na fofoca no mundo da dança. Estamos interessados na influência da língua sobre a organização do sistema corporal, no movimento e na saúde global. Nesse texto nos ocuparemos em observar como a língua pode influenciar nossa organização postural, além de contribuir para a performance de movimento.

Afinal, qual a importância da língua para o movimento humano?

Esse texto tem como base uma revisão de bibliografia de 2018 publicada na revista Cureau. Intitulada “The anatomical relationships of the tongue with the body systemo trabalho se ocupou em revisar a literatura a respeito da estrutura e função da língua sobre diferentes sistemas corporais, observando correlações para o uso clínico e, ainda, para a performance de movimento.

Sim, sua língua parece estar conectada a mais funções do que apenas sentir um gosto agradável e ajudar na mastigação

Já conversamos em alguns textos aqui do site sobre a relação sistêmica presente no nosso corpo, isto quer dizer que a integração presente no corpo a partir de suas diferentes estruturas faz com que essa rede interna seja impactada por localidades distintas dentro do próprio organismo. Tendo isso em mente, alterações na cavidade bucal, em especial do posicionamento da língua, modificam funções em regiões distantes da boca, como os membros inferiores.

Vamos entender um pouco como isso é possível

A conexão entre boca e movimento está vinculada com nossa história evolutiva, além do desenvolvimento de nós mesmos durante a formação dos tecidos na gestação. Para que brevemente isso seja compreendido, temos o desenvolvimento da mandíbula em animais junto ao aparecimento da bainha de mielina nos tecidos nervosos. Esse aparecimento permitiu a condução de impulsos elétricos em velocidade elevada, necessários ao movimento.

 

Neurônio. Bainha de mielina é vista em amarelo.

A língua possui ainda uma ampla conexão com o equilíbrio de forças para a manutenção postural. Essa conexão se dá de diversas formas, umas mais diretas como é o caso da relação da língua com o equilíbrio da cabeça através de sua interação com as musculaturas que acessam o osso hióide. Esse jogo de forças faz com que a cabeça se mantenha equilibrada sobre a cervical. Outras relações se fazem de forma mais indireta a partir da interação da língua com os nervos cranianos hipoglosso e facial podendo modular a atividade do sistema nervoso autônomo em humanos.

Sua língua é um universo

Até aqui já é possível perceber que a língua se mostra importante para funções diferentes das que comumente conhecemos. Com isso em mente é também conclusivo que alterações no posicionamento da língua podem nos impactar de forma sistêmica. Isso leva nossa atenção ao equilíbrio do sistema orofacial a um patamar que não estamos afinados ainda.

Sobre o universo de curiosidades que essa discussão abre, os estudos descritos nesta revisão trazem um elo entre a língua e as emoções. Isso é possível graças a observação que a movimentação da língua faz com seja observada uma ativação de áreas do córtex cingulado anterior, desempenhando um papel importante no sistema sensorial, motor, cognitivo, além do processamento de informações emocionais e dor. Soma-se a vinculação da língua com as emoções a ativação de regiões da amígdala, intimamente relacionada com o aprendizado motor e as emoções.

córtex cingulado anterior em amarelo. Vista de ressonância magnética.

Agora para os bailarinos, qual a nova sobre os estudos envolvendo a língua?

O que nos chama a atenção é que a língua parece estar envolvida com o controle neuromotor de membros inferiores. Isso foi visível em um estudo que observou o posicionamento da língua dentro da boca e a performance do músculo quadríceps no aparelho isocinético.

Foram observadas ainda o aumento do desempenho em tarefas de equilíbrio quando a língua foi estimulada eletricamente. Isso exibiu seu papel importante na manutenção da postura, tanto no que se observou em relação à aceleração do centro de gravidade nas tarefas, quanto a manutenção da posição do crânio em tarefas com ausência de pistas visuais.

Com o que foi posto nesse texto não parece demais concluir que todo artista ou trabalhador do movimento deveria se preocupar com a integração e organização de seu sistema orofacial. Já observamos equipe de dentistas, fisioterapeutas e fonoaudiólogos que trabalham exclusivamente com atletas de alto rendimento. Essas equipes observam possíveis ajustes da posição da mandíbula e da língua para o ganho de performance.

Então, continuemos com mais essa ferramenta para a descoberta do corpo e do movimento.

Invista na sua língua, talvez algumas questões que estão na sua vida de movimento possam ser respondidas através dela.

 

#deixamover

 

_________________________________________

 

Referências:

Bordoni B, Morabito B, Mitrano R, et al. (December 05, 2018) The Anatomical Relationships of the Tongue with the Body System. Cureus 10(12): e3695. doi:10.7759/cureus.3695

 

– CHEGOU ATÉ AQUI? Compartilhe o post usando os botões à esquerda e ajude a página a crescer –

– Aproveite para ativar as notificações de post. Clique no sininho vermelho no canto inferior direito da tela  –

(Ficou alguma dúvida no texto? Utilize a caixa de comentários abaixo ou escreva para contato@deixamover.com.br. Leia outros posts do site)

 

 

One comment on “Por que bailarinos deveriam se preocupar com sua língua?

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *